Alimente sua alma. Inspire Sonhos!
Telefone
O folk de Eric Taylor Escudero

Por Eric Taylor Escudero

A música sempre fez parte da minha vida. Na casa dos meus pais tinha sempre música tocando. Bandas como Beatles, Rolling Stones, The Doors e cantores como Bob Dylan e John Denver estavam presentes nas tardes de fim de semana. Desde cedo aprendi que música era algo importante e que grandes compositores eram pessoas que mereciam nosso mais alto respeito.

Comprei meu primeiro disco quando tinha onze anos: “Be Here Now” do Oasis. Minha irmã mais velha estava sempre assistindo MTV e, naquela época, o clipe de “All Around The World” passava frequentemente. Esse é ainda meu álbum de rock preferido.

Apesar da relação com a música, meu primeiro sonho foi o de ser jogador de futebol, outra paixão da família, e até hoje esses são dois dos assuntos que são discutidos quando a família se reúne.

A partir do colegial comecei a pensar na música de forma mais séria e escrevi minhas primeiras canções. Montei uma banda de rock e fiz alguns shows por São Paulo. No fim do colegial, os integrantes foram para diferentes faculdades e seguiram caminhos diversos. Nessa época, eu já havia tido contato com artistas com influências da música folk americana e britânica, como Bright Eyes, Roddy Woomble, Fionn Regan, entre outros. Decidi que apenas um violão, uma boa letra e melodia eram necessários para compor grandes obras, e resolvi ter uma carreira solo. Na faculdade ainda participei de uma banda de rock chamada The Hatchers, na qual conheci dois grandes amigos, os produtores Beto Grangeia e Bruno Zibordi, com os quais tenho trabalhado em diferentes épocas. (O Beto, inclusive produziu meu último single “The Sailor”, lançado neste ano).

Em 2013, após ter lançado três EPs, Ana Luísa Ramos (voz e teclado), Marco Minoru (baixo), Tomás Telles (bateria) e eu fomos para Austin, Texas, para gravar meu álbum de estreia “We Were Young and It Was Morning”. Foi uma experiência incrível e o álbum, lançado em 2015, rendeu meu primeiro videoclipe “We Were Young and It Was Morning – Part 1”, o qual recebeu ótimas críticas da imprensa brasileira, britânica e americana.

No ano passado, compus minhas primeiras canções em português para o álbum “Um”, da Ana Luísa Ramos. Além das músicas que escrevi, o álbum também contém releituras de grandes canções da Bossa Nova e do Jazz.

Em julho deste ano participei do Iona Village Hall Music Festival, ao lado de artistas como Frightened Rabbit, Roddy Woomble e Kathryn Williams. No mesmo mês acompanhei a Ana Luísa Ramos em sua turnê em Portugal. As apresentações na Escócia e Portugal foram momentos inesquecíveis.

Atualmente, comemorando o aniversário de dois anos do We Were Young and It Was Morning, estão sendo lançadas diferentes versões das canções do álbum, produzidas e/ou interpretadas por alguns amigos músicos de diversas partes do mundo. Essas canções vão compor um álbum que será lançado no início de 2018.

We Were Young and It Was Morning está disponível para download grátis em erictaylor.bandcamp.com

Adicionar Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *